Dia do Julgamento

"Cada dia é o dia do julgamento, e nós, com nossos atos e nossas palavras, com nosso silêncio e nossa voz, vamos escrevendo continuamente o livro da vida. A luz veio ao mundo e cada um de nós deve decidir se quer caminhar na luz do altruísmo construtivo ou nas trevas do egoísmo. Portanto, a mais urgente pergunta a ser feita nesta vida é: 'O que fiz hoje pelos outros?'"

terça-feira, 5 de abril de 2011

O Networking nos tempos do Linked In

Que o networking, ou, em português, cultivar sua rede de relacionamentos, é uma das mais importantes formas de manter a empregabilidade em alta não há dúvida. Já se sabe que mais de 70% das colocações no mercado partem de uma informação passada por amigos ou conhecidos.

Muito se reclamava da falta de tempo para manter os contatos em dia, sem ser do tipo interesseiro, que só liga quando precisa de algo. Agora, surgem ferramentas na internet que aproximam as pessoas dentro de seus grupos de interesses e são muito úteis não só para quem está procurando um emprego, mas para todos que querem estar visíveis ao mercado --outro bom exercício para a empregabilidade.

O Linked In (www.linkedin.com) é um destes poderosos instrumentos. A matemática diz que, em tese, se uma pessoa acionar as redes dos seus conhecidos e as que se ligam a estas, sucessivamente, até atravessar seis níveis de relacionamentos, poderia encontrar qualquer pessoa no mundo.

No caso do Linked In não se chega a tanto, mas se vai bem longe, até quatro graus de distância. Eu, por exemplo, conto com 80 amigos em minha base de contatos e, com isso, consigo acessar mais de 370 mil participantes desta rede. Hoje, há 52 mil brasileiros entre aproximadamente 700 mil usuários do Linked In, e o número vem crescendo dia após dia. Certamente quando vocês estiverem lendo este artigo este número já cresceu.

Esta ferramenta começa a ser usada por empresas de seleção de profissionais, pelos que procuram emprego, por quem quer prospectar mercados ou simplesmente por aqueles que querem trocar informações e conselhos profissionais.

É um ótimo ambiente para expor suas capacidades ou buscar prestadores de serviços, por exemplo. Assim como no já famoso Orkut (www.orkut.com), o Linked In só admite convidados dos seus integrantes. Mas, diferente do primeiro, este é exclusivamente voltado para o mundo dos negócios.

Ao receber um convite para ingressar na comunidade, o interessado monta o seu perfil profissional, em inglês de preferência, e responde ao programa qual é a sua finalidade: busca por oportunidades de emprego, networking, oferecer serviços, etc.

Assim como o Orkut, este também é um sistema de uso gratuito, por enquanto. Mas aqui o acesso é mais controlado. Não se pode, por exemplo, enviar mensagens para conhecidos de amigos seus sem que estes lhe dêem permissão.

O Linked In é também um ótimo espaço para divulgação do seu currículo. Mas cuidado: ele deve ser ainda mais objetivo que uma peça escrita, destacando apenas as empresas em que trabalhou, os cargos que ocupou e as principais graduações, sem descrever demais cursos e outros detalhes.

Contar com o maior número de pessoas e empresas pelas quais você possa ser acessado é o melhor caminho para se montar uma boa rede no Linked In. Ter em seu perfil testemunhos de outros profissionais também é importante. Tudo, é claro, dentro do limite ético.

Ao contrário do Orkut, dificilmente haverá espaço para personagens fictícios no Linked In, pois seus usuários, até o momento, são, na maioria, executivos e profissionais liberais.

O Orkut também pode ser utilizado para o networking, mas seus grupos são mais voltados ao lazer ou a associações de diversos tipos. Pelo grande número de participantes, este programa já começa a apresentar problemas de lentidão, o que não deve ocorrer tão cedo com o Linked In.

Outra ferramenta que ajuda a manter sua rede de relacionamentos atualizada é o Plaxo (www.plaxo.com). Trata-se de um programa que, instalado no seu caderno de endereços, avisa o usuário quando algum membro de sua base de contatos altera algum dado do endereço, seja de telefone, ou de e-mail, desde que este também esteja cadastrado no sistema. Além disso, funciona como um backup de sua agenda, arquivado no site.

Muita gente não tem respondido aos convites de inscrição no Plaxo ou no Linked In por medo de contaminar seus computadores com vírus, mas vale a pena usufruir desta tecnologia.

*Gerson Correia é psicólogo e consultor da DBM do Brasil



Nenhum comentário: