Dia do Julgamento

"Cada dia é o dia do julgamento, e nós, com nossos atos e nossas palavras, com nosso silêncio e nossa voz, vamos escrevendo continuamente o livro da vida. A luz veio ao mundo e cada um de nós deve decidir se quer caminhar na luz do altruísmo construtivo ou nas trevas do egoísmo. Portanto, a mais urgente pergunta a ser feita nesta vida é: 'O que fiz hoje pelos outros?'"

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Postura profissional e pessoal – O “RECLAMÃO”

Você já conviveu profissionalmente ou não com um perfil “reclamão”?

O “reclamão”  é aquele sujeito que reclama de tudo. Muitas vezes não lhe falta competência para apresentar bons resultados, mas o cara reclama até da sombra. No ambiente profissional ele contesta o inevitável incluindo o volume de serviço, a quantidade de reuniões, reclama de ter que prestar esclarecimentos, reclama das análises que lhe pedem. Ele reclama dos benefícios, reclama dos subordinados e também dos superiores. Para eles nada está bom. 

Reclamões não  conseguem enxergar que se tornam pessoas difíceis de conviver. Eles são especialistas em apontar para as falhas alheias, eles só não aprenderam a notarem seus próprios defeitos.

Por vezes eles costumam dizer que não concordam com determinadas regras ou situações que estão completamente fora de sua área de competência. Já presenciei funcionários que pouco tempo após terem sido admitidos começaram a contestar normas e procedimentos das empresas, que lhes foram apresentadas na admissão.

Como conviver com os reclamões

Há muitas coisas que os demais colaboradores podem fazer para não serem contagiados pelo pessimismo dos reclamões, e Flávio Souza separou algumas dicas:
  • Se você for um superior de um reclamão tenha uma abordagem direta. Faça uma breve reunião somente e aborde proativamente a respeito da postura do sujeito. Muitas vezes eles não têm consciência do transtorno e das dificuldades que suas posturas lhes causam.
  • Se for colega de trabalho e quiser ajudar ao reclamão procure alertá-lo para o desgaste que suas atitudes acarretam. Muitas vezes conselhos sutis são bem recebidos.
  • Em qualquer outra circunstância o pior que pode acontecer e haver um desgaste da relação com o reclamão, ou um afastamento do mesmo. Eu sou a favor de abordagens diretas, então quem sabe se você posicionar que reclamações não ajudam em nada, mas sim atrapalham o reclamão poderá atenuar sua atitude.
  • Não leve nada do que o “reclamão” diz para o lado pessoal, a grande maioria está generalizando as suas reclamações, então não é uma questão específica com você;
  • Filtre o que ele diz e o que não te serve simplesmente ignore;
  • Não tome como verdade as palavras do “reclamão”, entenda que isso é somente o ponto de vista dele, então avalie as coisas com uma percepção mais ampla;
  • Peça a ele sugestões de melhorias ou que explique como ele faria melhor;
  • Posicione-se, diga: Eu percebo essa situação de outra forma e não concordo com você;
  • Pergunte a ele: O que você está fazendo efetivamente para melhorar a situação? Quando você vai falar com os verdadeiros envolvidos? Podemos conversar sem reclamações?;
  • Diga a ele as coisas de que gosta na empresa e porque esse trabalho é importante para você;
  • Desafie-o, para cada reclamação que trouxer cite 3 pontos positivos da empresa;
  • O contraponto da reclamação é a gratidão, cada vez que ele reclamar diga por que você é grato à empresa ou aquela pessoa de quem ele está falando;
  • Desenvolva sua assertividade e de um feedback claro a ele, diga como se sente quando ele fica reclamando demais;
  • Se não consegue lidar com o mesmo de maneira adequada, afaste-se, pois ele será nocivo para você.

Nenhum comentário: